Páginas

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Já não sou a mais nova!

Há um momento na história da família em que somos os mais novos. Ocupei esse papel durante 16 anos na categoria dos netos. Era vê-los todos a pensar em mim. A comprarem-me coisas só porque sim. A aturarem-me as birras e, mais tarde, as crises. A mimarem-me e a ralharem-me. A comerem, de propósito, o Happy Meal, para depois me darem o brinde. Hoje, com 21, sou eu que faço isso. Apareceu a primeira bisneta e destronou-me. Agora ocupo aquele lugar estranho de prima-tia. Podiam simplificar esse grau de parentesco. Ou se é prima. Ou se é tia. Que confusão. De qualquer das maneiras, o reinado da minha prima-sobrinha nem chegou aos cinco anos. Ainda bem que a idade não lhe permite saber os banhos de mimo infinito que acabou de perder. Isto porque acabou de chegar outra prima-sobrinha. Só gajas nesta família. Infelizmente, esta criatura linda e recém-nascida só vai poder reinar durante nove meses. Porquê? Porque vem outro ser a caminho. Ainda é muito cedo para saber se a sapatilha será rosa ou azul, seguindo o cliché. Se isto continua assim, a vida familiar transforma-se num episódio de Game Of Thrones. A garotada nem vai ter tempo de aquecer o rabinho no trono. Não faz mal. Deixem vir as criancinhas a mim. Estou desejosa para que cresçam e eu possa ser a melhor pritia de sempre. Aquela a quem vão pedir para sair à noite. Mas isso significa que a minha idade também vai avançar. Então não. Deixai-vos estar com os livros da Porquinha Peppa na mão e fraldas no rabo. Tenho andado a pensar num novo cargo que espero ocupar daqui a muitos (muitos) anos. A mais velha da família. Se fui a mais nova, posso ser a mais velha um dia. Daí já ninguém me tira. Enquanto isso não acontece, vou ficar aqui a ter perder paciência com as meninas e a implorar que gostem de barbies para poder espremer a lágrima da nostalgia. Ou brincar com elas naqueles tapetes que têm estradas desenhadas. Ou a fazer desenhos e perceber, em cada gatafunho, risco e rabisco, os olhos, o nariz e a boca. Ou a tentar ser má para elas e ter medo a mim mesma. Ou a limpar-lhes a lágrima da cara porque "o chão é mau". E assim sai uma rainha do trono para dar lugar às melhores princesas do mundo. Adoro-vos minions, sem capacidade de leitura (ainda).

23 comentários:

  1. E sabes o quê? Vais adorar! Um bebé na família tudo ganha um novo sentido...
    Ainda aproveitaste bem o trono da mais nova :D
    http://modadarapunzel.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Que texto tão lindo. De verdade Isa :) Esses 16 anos devem-te ter sabido pela vida, mas vais ver que o papel de pritia vai ser ainda mais recompensador :D

    Instax mini 25 giveaway - www.mykindofjoy.com

    ResponderEliminar
  3. É bom quando somo os mais novos!!! mas lá vem o tempo em que temos que dar i lugar a outros!

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Como te percebo.^^ Eu também já saí do meu "trono" há muito tempo quando nasceu o meu sobrinho. Nisto já outro ocupou o lugar dele. :D
    Beijinhos,

    Giveaway a decorrer:
    http://aliceinabigworld.blogspot.pt/2015/07/brushegg-giveaway-blog-related.html?m=1

    ResponderEliminar
  5. Oh eu sei tão bem o que isso é. Tenho dois sobrinhos e também deixei de ser a mais querida da familia para lhes ceder o lugar...oh mas eles são uns queridos. Paciência é que não tenho muita. Eles só jogam à bola e jogos feios de computador...eu queria era uma sobrinha para pentear e dar lhe o meu carrinho da barbie. Mas já não vai acontecer. Diverte te muito com elas por mim 😊

    ResponderEliminar
  6. No meu caso foi mais o facto de ter sido a filha mais nova durante 12 anos e depois...pumba apareceu um fedelho a retirar-me o posto. No entanto, hoje em dia estou muito feliz por ela existir, já nem sei o que seria a minha vida sem ela fazer parte dela. Aliás, o blog é feito por nós a duas.

    Parabéns pelo crescimento da família! Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Adorei o texto! É realmente engraçado pensar como funciona né? Começamos sendo os mais novos e vamos nos tornando os mais velhos haha
    Um beijo

    Dicas para Todas

    ResponderEliminar
  8. Também já fui por quase 20 anos "pequena" da família. Felizmente já tenho uma sobrinha a quem dei o lugar :)

    http://thesunnysideoflifeblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Adorava ter uma familia grande para ter imensas crianças a minha volta, gosto tanto! x

    ResponderEliminar
  10. Texto maravilhoso amei realmente mais é bom ser criança
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=eNNlFtDc1-o
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  11. Psér, a vida realmente não passa de um clichê olhando nesse modo. Amei seu texto, foi uma coisa bem espontânea *~* adorei

    Um xero~
    www.its-sucker.blogspot.com

    ResponderEliminar
  12. Ha que texto mais bonito *-*
    Ser criança é bom demais mas tudo passa!!
    Ótima reflexão...

    www.chaeamor.com

    ResponderEliminar
  13. Sou ao contrário, Isa. Sempre fui a mais velha! Haha. A neta mais velha. Logo depois vieram vários, mas cada um foi mimado sim, eu inclusive, na medida certa. Vivo nessa situação de prima tia já que os mais novos ( 12 primos) são todos bem pequenos. É uma delícia ser pritia também haha, vai ver!

    beijo
    www.belatriz.info

    ResponderEliminar
  14. Na minha família já deixaram de aparecer crianças... agora era a minha geração que as devia ter e não estamos para isso =P mas gostei muito de ler (=

    ResponderEliminar
  15. Muito obrigada pela visita volta sempre adorei
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia

    ResponderEliminar
  16. Realmente o seu texto foi como me senti quando deixei de ser a mais nova da família.Tenho dois priminhos que ainda são bebês.
    Beijos
    http://nadadecontodefadas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  17. Muito boa essa tua ideia de simplificação dos parentescos, alguns ficam mesmo impossíveis!!!
    Muito boa postagem!!!
    Beijos e beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  18. I hope that you'll like it that feeling, because new kids in the family is the new beggining of something different ;)

    http://crafty-zone.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  19. Eu fui a mais nova 12 anos, mas só vieram meninos continuo a ser a única neta de um dos lados :D

    ResponderEliminar
  20. Oi Isa! Também não sou mais a menina da casa, mas a gente cresce mesmo e damos o lugar para os próximos ganharem mimos! É o tempo! Beijos
    Paula Juliana
    http://overdoselite.blogspot.com.br/2015/07/resenha-renascida-saga-acampamento.html

    ResponderEliminar
  21. Que texto lindo!
    debzsoares.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  22. Pritia! Adorei!
    Eu ainda não senti esse sentimento, pelo menos não pela parte dos meus irmãos. Mas vejo pelas minhas colegas da primária, básico e secundário. Quando aparecerem as pequenas o teu maior problema vai ser a tecnologia, não as deixes se habituarem à tecnologias... Se não, não fazem mais nada! Não pintam, não desenham, não jogam à macaca, não brincam com as bonecas (ou os carrinhos)... Não inventam jogos, ou não brincam ao "lava no chão". Portanto como pritia, a tua função é esta haha xD

    Beijinhoo *

    ResponderEliminar